Open Banking: conheça a tecnologia que está revolucionando o mercado financeiro

O mercado financeiro vem passando por grandes transformações nos últimos anos devido às novas formas de oferecer serviços e produtos que estão tomando conta deste segmento. Com isso, as instituições precisam se reinventar a cada dia para se adaptar às novas tecnologias. O Open Banking chegou para revolucionar a forma como os serviços financeiros são oferecidos. Mas, você sabe como ele funciona?

Peterson F. dos Santos

Peterson F. dos Santos

January 14, 2021 | leitura de 4 minutos

business

O mercado financeiro aqui no Brasil vem passando, nos últimos anos, por grandes transformações. Novas formas de oferecer serviços e produtos estão tomando conta deste segmento, obrigando as instituições a se reinventarem a cada dia para se adaptar às novas tecnologias.

Porém, entre tantas inovações, a que mais me chama atenção de longe é o Open Banking por um único motivo: você se torna o centro das atenções, os dados são seus e você faz o que bem entender com eles. Qual a consequência disso? Mais competitividade, preços mais justos, serviços mais acessíveis.

Mas afinal, o que é Open Banking?

Em uma livre tradução do termo teríamos "banco aberto" - e open banking é exatamente sobre isso. Atualmente, a posse dos seus dados cadastrais e financeiros é exclusiva do banco com o qual você possui relacionamento. Porém, após a implantação completa do Open Banking, você, como cliente, terá a opção de compartilhar estas informações com qualquer instituição financeira de sua preferência.

É aí que entra a tecnologia: a partir de APIs (Application Interface Programming) padronizadas as instituições poderão trocar informações. O único esforço que você precisará realizar é dar o consentimento para que uma instituição possa trabalhar com os seus dados.

Ainda não entendeu? Vou deixar um exemplo prático:

  • O João possui uma conta no Banco do Brasil e deseja fazer um empréstimo pessoal na Creditas. Com o consentimento do João, a Creditas poderá ter acesso a todo o histórico bancário dele no Banco do Brasil para realizar a avaliação de renda. Com isso, tanto a instituição financeira quanto o próprio cliente saem ganhando, pois as chances de fechar negócio aumentam. 

Open Banking no Brasil

Aqui no Brasil já estamos bem avançados no que diz respeito à regulamentação, pois desde 2019 o Banco Central vem discutindo o assunto e, em março de 2020, criou um grupo de trabalho para começar a tirar as ideias do papel.

A implementação será dividida em 4 fases com início em 01/02/2021 e somente instituições reguladas pelo Banco Central poderão fazer parte do diretório do Open Banking. Esta é uma das grandes diferenças entre a regulamentação no Brasil e em outros lugares no mundo, mas essa é uma discussão para outro artigo.

Open Banking no Mundo

Ao redor do mundo, outros países já implementaram o Open Banking, mas a principal referência para todos é o Reino Unido (UK), que possui a sua API em vigor desde 2018.

Países como Austrália, Canadá, Arábia Saudita e outros já estão evoluindo o assunto, pois também entenderam os benefícios que esta tecnologia pode oferecer.

Principais vantagens do Open Banking

Existem vários modelos e formas de implementar e regulamentar o sistema bancário aberto. Seja qual for a opção escolhida, todas sempre chegam à algumas vantagens que são inerentes ao modelo descentralizado e democrático que o Open Banking traz à tona. São elas:

  • Mais competitividade - como o acesso aos dados é simplificado, aumenta a oferta de produtos e serviços com menos burocracia;

  • Experiência do cliente - com uma maior competitividade, cada vez mais o cliente é colocado como centro das atenções. Logo, a tendência é termos produtos e serviços que se encaixam melhor com a sua necessidade;

  • Taxas menores e mais justas - com o cliente colocado como prioridade, os bancos e instituições cada vez mais disputarão você, o que causará uma queda nas taxas cobradas pelos serviços.

Desafios do Open Banking

Toda a nova tecnologia possui desafios para que seja viável implementar de maneira segura e com o Open Banking não seria diferente. E como estamos falando de informações financeiras, acredito que o principal ponto de atenção é a segurança.

Entretanto, o Banco Central vem atuando extensivamente nos grupos de trabalho para direcionar este assunto e acredito que até o lançamento teremos uma diretiva de como operacionalizar de maneira segura para os usuários.

Espero que este artigo tenha ajudado você a tirar as principais dúvidas sobre o Open Banking. Ainda tem alguma questão? Quer bater um papo sobre o assunto? Entre em contato com a gente! Até a próxima.

Peterson F. dos Santos
Peterson F. dos Santos

Founder & CEO at ateliware | Artesão de software, interessado em programação, open source, produtos digitais e internet.

LinkedInGithubTwitter