Papo Reto com Bruna Gabardo, analista de mídia paga na ateliware

Inteligência de negócio, destaca a profissional, é o que mais importa em um ambiente de constante automatização de tarefas - e dominar tecnologia para vender tecnologia, ressalta, é fundamental. Entretanto, segundo ela, nada supera o poder do "ser humaninho" por trás de cada movimento.

Reinaldo Zaruvni

Reinaldo Zaruvni

March 03, 2022 | leitura de 4 minutos

people

"Sou formada em Publicidade e Propaganda, mas minha história na área começou muito antes, já que cursei um Ensino Médio Técnico, em que, por quatro anos, tive contato com rádio, TV e teatro." Bruna Gabardo, analista de mídia paga responsável pelas estratégias da equipe de Marketing na ateliware, protagoniza o Papo Reto de hoje - no qual você vai conhecer uma profissional focada em resultados.

Bruna conta que, devido ao tempo dedicado à especialização logo antes de ingressar na vida acadêmica, decidiu permanecer no caminho que vinha percorrendo. "No meu último ano, tive uma matéria diretamente relacionada a meu campo de atuação. Fiquei encantada. Percebi que havia muitas possibilidades. Sempre fui mais tímida, gostava de estar nos bastidores, na produção, no planejamento. Se, inicialmente, olhava mais para a parte criativa (sendo que meu primeiro emprego foi em uma empresa de foto e vídeo aos 14 anos, fazendo montagens), as coisas mudaram."

"Desde meu primeiro ano na faculdade trabalho com métricas e mídias digitais. No segundo semestre iniciei um estágio de monitoramento de redes sociais", destaca Gabardo, que, na mesma época, participou de um bootcamp. "Foi aí que me interessei de vez pelo assunto. Já fui me envolvendo e descobri o que queria."

Vários caminhos, diversas soluções

No decorrer da construção sólida de sua carreira, Bruna não só assistiu de camarote às mudanças do setor como internalizou ensinamentos valiosos para a execução de suas tarefas. Durante a conversa, citou a crescente automatização de diversas ações e a variedade de projetos, mas ressaltou, também, a importância do "ser humaninho" por trás de cada movimento.

"O que importa hoje, principalmente, é a inteligência de negócio. Guilherme Gomide falava muito sobre isso, sobre o fato de que o futuro da mídia digital é muito incerto no sentido de que todo mundo vai internalizar os processos e de que profissionais terão de dominar as áreas em que trabalham", defendeu a analista, relembrando os conselhos dados pelo empresário que, dentre outras iniciativas que empreendeu, foi um dos cofundadores de uma agência global. "Terão de dominar tecnologia para vender tecnologia", acrescentou.

"Marketing depende muito de testes, de percepções. A bagagem como um todo conta muito. Existem diversas abordagens para cada tipo de campanha, e é crucial gerenciar conflitos com colegas. Obstáculos sempre vão surgir. Para contorná-los, é essencial trabalhar em equipes que estejam em sintonia, em lugares nos quais haja compatibilidade cultural", acredita, não deixando de mencionar: "Por isso me sinto tão à vontade na ateliware, pois sei que, aqui, a minha forma de ser é respeitada."

Tudo é questão de verbo

Segundo Bruna, duas características da ateliware fizeram com que seus olhos brilhassem assim que iniciou o processo seletivo para se juntar a nós: a história da companhia, onde nasceu o Pipefy e a minestore, e a oportunidade de fazer parte de um time enxuto de Marketing, "com uma visão mais híbrida e ampla da área como um todo."

Dos benefícios oferecidos, já aproveitou os incentivos a cursos e ao aprimoramento de inglês, que considera importante para a profissão - especialmente no contexto de internacionalização em que a "ateli" se encontra, enxergando, inclusive, uma oportunidade de expandir sua expertise.

Quanto ao fit cultural, "seja você mesmo" é um dos valores praticados por aqui que mais a encanta: "A gente vive oito horas por dia no trabalho, então, se isso não ocorrer nesse intervalo, viverei para alguém que não sou eu." Transparência é outro elemento pelo qual preza muito, uma vez que acredita no poder disso para a garantia de segurança pessoal e profissional.

"'Encare os erros' também. Somos, acima de tudo, seres humanos. Temos de errar para aprender!", finaliza.

Calma, não vá embora ainda. Bruna tem algumas indicações para você:

  • Vai um podcast aí? Que tal Bom Dia, Obvious?

  • Prefere um livro? Aposte em As sete leis espirituais do sucesso, de Deepak Chopra!

  • Por fim, um filme sugerido por ela para uma sessão-pipoca é Interestelar. Confira!

Caso queira saber mais sobre a ateliware, clique aqui. Aproveite e dê uma olhada nas vagas abertas para nosso time. Estamos ansiosos para conhecer a sua história!

la_ateliware_banner-vaga_870x200.png

Reinaldo Zaruvni
Reinaldo Zaruvni

Content Producer | Formado em Letras ­– Inglês pela UFPR, assina centenas de artigos em diversos sites, como TecMundo e Curitiba Cult. É também editor de textos, revisor, tradutor e audiodescritor.

LinkedInInstagram