UX Design no desenvolvimento de softwares: benefícios, boas práticas e muitos motivos para investir.

A utilização do UX Design no desenvolvimento de softwares gera produtos mais inteligentes e diminui custos de longo prazo. Além disso, também contribui para o aumento das vendas e da produtividade. Toda empresa que preza pela qualidade de seus softwares, assim como a satisfação de seus usuários, investe em UX. Saiba mais.

Após meses de desenvolvimento, seu novo software é lançado. Sua equipe trabalhou duro e todos estão muito animados. Não há produto como esse no mercado. Mas, conforme o tempo passa, a taxa de abandono só aumenta. Para contornar o problema, você faz algumas modificações no produto. “Agora vai!”



Opa! Não foi dessa vez. Os usuários continuam insatisfeitos e desengajados. 

O que está acontecendo? Por que a sua ideia brilhante não deu certo?


Bem, talvez você focou demais na funcionalidade e deixou de lado a usabilidade. 


Um produto funcional não é, necessariamente, um produto utilizável. Sua função pode estar muito bem definida, mas se as informações estão confusas e a navegação é difícil, provavelmente a experiência do usuário será prejudicada. Como resultado, a aplicação não cumpre com seu objetivo, fazendo com que as pessoas prefiram outra alternativa para suprir o que precisam.   


É por isso que o UX design desempenha um papel fundamental no desenvolvimento de softwares. Ao simplificar a interação entre o usuário e a “máquina”, torna o produto mais aderente ao modelo de negócios e mais atraente para aqueles que o utilizam. 


Vamos compreender melhor essa relação nas próximas linhas. 



O que é UX design?

UX Design é uma abreviação para User Experience Design (ou Design da Experiência do Usuário). Seu objetivo é melhorar continuamente a usabilidade de um produto digital ou físico, simplificando etapas e otimizando interfaces.

No desenvolvimento de softwares, um bom UX Design é aquele que:

  • Atende as expectativas do negócio;
  • Segue as diretrizes do produto;
  • Compreende e traduz os anseios dos usuários;
  • Facilita a compreensão das tarefas;
  • Torna a interação com o software intuitiva, dispensando manuais ou treinamentos.


Sendo assim, o papel de um UX Designer (profissional que atua nessa área) é representar o usuário no desenvolvimento de um produto. Essa “representação” é feita a partir de pesquisas de UX, análises, esboços e protótipos, que irão garantir que o software atenda às necessidades daqueles que o utilizam. Além disso, o UX Designer irá criar a melhor interface por meio de wireframes e coordenar a integração junto com os desenvolvedores. 


Caso não saiba, wireframes são rascunhos, muitas vezes feitos com papel e caneta, utilizados para acelerar o processo de ideação, a construção de fluxos e a validação das telas que serão, posteriormente, criadas. A ideia não é ficar bonito, mas compreender o todo poupando tempo, já que desenhar uma tela em um software demora mais. 



A importância do UX no desenvolvimento de softwares


Você já utilizou um software sem compreender, realmente, o que está fazendo? Muitas vezes criamos nossas próprias rotinas de uso sem saber que estão equivocadas ou que poderiam ser mais fáceis.


Esse é um clássico problema de UX.


A maior parte desses casos poderiam ser previstos e evitados. Mas, para que isso ocorra precisamos praticar o design centrado no usuário, cujo principal objetivo é suprir as necessidades de quem está do outro lado da tela.


Quando cumprimos com o que o usuário busca, deseja e precisa, tornamos a experiência inesquecível ou, pelo menos, satisfatória.


Com o usuário no centro das atenções, fica mais fácil definir como será a interação com o produto, suas restrições e requisitos. 


Além disso, o UX no desenvolvimento de softwares também possibilita:


  • Gerar e alavancar ideias;
  • Descobrir novas oportunidades de mercado;
  • Diminuir custos;
  • Evitar retrabalhos;
  • Otimizar funcionalidades;
  • Melhorar a usabilidade;
  • Aumentar a aceitação e o engajamento do produto. 

Outro ponto importante diz respeito às horas de treinamento. Por mais robusta que seja uma solução, ela pode, sim, ser fácil de utilizar e intuitiva, reduzindo significativamente a necessidade de suporte. 

De acordo a matéria “Why Software Fails”, publicada na IEEE Spectrum, 3 dos 12 motivos para um software dar errado estão diretamente relacionados com UX. São eles:


  1. Requisitos mal definidos;
  2. Má comunicação entre clientes, desenvolvedores e usuários;
  3. Baixo engajamento de stakeholders.


Como o UX amarra todas essas pontas, acaba se tornando essencial para garantir o sucesso de um produto. 



Design e desenvolvimento de software


Mas, em que momentos do desenvolvimento de um software o UX aparece?


A resposta é simples: em todos eles! Para garantir a satisfação do usuário, o UX Design atua desde pesquisas iniciais até a entrega final.


Vamos entender essa participação utilizando o double diamond como base, uma metodologia do design thinking que divide a criação de produtos em 4 fases. 


Imagem criada com Dan Nessler, via UX Collective



1. Descoberta

Nos estágios iniciais do desenvolvimento de softwares, realizamos uma série de entrevistas e pesquisas exploratórias para compreender a dimensão do nosso desafio. Também podemos analisar o backlog e outros documentos que irão nos ajudar a entender melhor o negócio, o contexto e os usuários.



2. Definição

Na etapa seguinte, correlacionamos as informações coletadas para identificar padrões, dificuldades e oportunidades. Aqui também geramos insights e nos perguntamos como podemos resolver os problemas detectados. Não podemos nos esquecer, é claro, dos requisitos que irão nortear o desenvolvimento do software.


3. Ideação 

Aqui começamos a trabalhar na solução, definindo comportamentos para os componentes, padrões visuais (cores, fontes, organização das informações) e fluxos de interação. Uma ferramenta bastante utilizada nessa fase é o user flow, onde analisamos a rota do usuário para completar tarefas. Esse estudo permite eliminar fluxos duplicados, facilitando o trabalho dos desenvolvedores. 


Vale lembrar que o UX Designer, geralmente, sugere referências e linhas criativas. Porém, quem realmente executa esse trabalho é o designer de interface do usuário (UI Designer). 


Ah! E se pudermos te dar uma dica extra: não deixe o UX writing para depois. Defina os textos do seu software nesta fase. 



4. Entrega

Por fim, temos a entrega. Contudo, antes de chegarmos a um produto final, realizamos vários testes e adequações, envolvendo o time de desenvolvimento sempre que possível.


Quando somamos os conhecimentos das equipes de design e de tecnologia, mitigamos os riscos e evitamos refações. Tudo flui mais rapidamente: as falhas (sim, elas sempre vão existir), os aprendizados e a tão desejada solução.

Veja também: O papel do desenvolvedor na transformação digital.

 

Benefícios do UX Design


Já falamos sobre a importância do UX design no desenvolvimento de softwares. Agora, vamos conhecer seus benefícios. 


Embora o UX tenha o usuário como foco, traz resultados positivos para toda a empresa, reduzindo custos de longo prazo, aumentando as vendas e a produtividade. 


No livro, “Engenharia de Software: Uma Abordagem Profissional”, Roger Pressman comenta que para cada dólar gasto em resolver um problema durante o design, seriam gastos de U$10 a U$100 para consertar a mesma situação após o lançamento.


Ou seja, quando investimos em UX, estamos poupando recursos desde o início do desenvolvimento


Além disso, também garantimos que a experiência do usuário seja, pelo menos, satisfatória. Como já vimos, o UX elimina potenciais confusões ou incômodos durante a utilização de um software - e a essa altura você já saber que um usuário contente é aquele que encontrou tudo o que precisava e executou tarefas sem passar perrengue. 


Aliás, ele ficou tão contente que indicou seu produto para outras pessoas, fez boas avaliações e, ao espalhar a palavra, gerou novas oportunidades de vendas para você. 


Quanto à produtividade da equipe, segundo Susan Weinschenk, 50% do tempo de desenvolvimento de um produto é gasto em tarefas que poderiam ser evitadas. Investindo em UX, podemos diminuir esse índice, fazendo com que o time se dedique a outras atividades relevantes ao negócio. 



Como praticar o UX design na sua empresa


Para usufruir esses benefícios, você precisa, é claro, praticar o UX design na sua empresa. 


É importante destacar que uma equipe de UX pode ser formada por profissionais de diversas áreas (antropologia, psicologia, história, etc), não apenas design e tecnologia. Quanto mais diversa a equipe, mais conhecimento ela tem para somar e multiplicar. 


Um ambiente de experimentação, onde podemos testar e validar ideias rapidamente, também é indicado. Espaços como esse não apenas estimulam a criatividade, como também potencializam a inovação


Sendo assim, inserir o UX no desenvolvimento de softwares é muito mais uma questão cultural. Precisamos, primeiro, compreender sua importância. Assim que a empresa reconhece as vantagens do UX, em especial, o quanto agrega valor, ela vai querer que essa prática esteja presente em todas as etapas da criação de um produto digital. 


Tal reconhecimento, pode ocorrer após obter bons resultados em um produto ou por exigências do mercado - e principalmente dos clientes. A empresa que preza pela qualidade de seus softwares, assim como pela satisfação de seus usuários, tem o UX Design como forte aliado. 

Referências:

Cláudia Bär

Redatora | Designer e produtora de conteúdo. Curiosa pela vida, o Universo e tudo mais.

Digitizar, digitalizar ou automatizar processos? Diferenças entre cada um.

Transformação digital na saúde

Hipercolaboração na prática: como criar um ecossistema de inovação